Na Transversal do Tempo

dsc_0459copy

Comecei concretamente a militar politicamente em um coletivo anarquista universitário, o Movimento da Incoerência Mineira. Com pendões artísticos e irônicos mais que de ação direta clássica, mais burguês até do que anarquista que produz okupas e outras ações mais radicais, o coletivo era a cara de seu bordão roubado de Oscar Wilde: “Coerência é o último refúgio dos sem imaginação”. Se propunha múltiplo, sarcástico, iconoclasta (Como era óbvio na ironização da Inconfidência Mineira) e foi a base sobre a qual se ergueu minha consciência política.

Do M.I.M ao CELIP foi um pulo, embora jamais tenha participado de quaisquer coletivos anarquistas de ação política fora das universidades ou,hoje,da vida virtual.

Talvez pela percepção,pessoal, da fragilidade do movimento anarquista na década de 1990, talvez pela própria deficiência de compreensão do que é anarquia e pela força de atração dos partidos da esquerda partidária sobre os mais jovens (É desigual a ação de…

Ver o post original 1.191 mais palavras

Anúncios